#02  
 

Reduzindo gastos com manutenção e energia através de novos adesivos.

Na indústria de embalagens, de um modo geral, a primeira grande decisão na escolha do adesivo é: optar por tecnologias “tradicionais” de baixo investimento inicial ou investir em tecnologias de última geração, que prometem ganhos operacionais?
 
Neste post iremos avaliar como novas soluções para laminação e também novos hotmelts de baixo consumo energético podem impactar o custo operacional total dos processos de embalagem . Muitas delas apresentam economias muito significativas no consumo de energia, contribuindo também para a política de sustentabilidade das empresas que as utilizam.

Nos processos de laminação, a tecnologia que mais cresce em todo o mundo é a de adesivos com componentes 100% sólidos. Nela, a ausência de água e solventes dispensa a necessidade de uso de estufas para evaporação. A economia mais óbvia está na energia, porém a ausência de solventes também permite maior velocidade na linha de produção de modo geral, além disso o custo do solvente apresenta  tendência de aumento.

Em geral a temperatura de aplicação é baixa (a grande maioria dos produtos é aplicada à temperatura ambiente).

Com as constantes pesquisas, o adesivo sem solvente já apresenta as mesmas propriedades térmicas dos adesivos a base de solvente; além disso, permitem a laminação da maioria das estruturas que são consideradas “críticas” devido ao seu conteúdo extremamente agressivo ou ao seu processo de envase (esterilização, pasteurização, etc.)

fabrica

Adicionalmente, é importante destacar que a tecnologia sem solvente
também evoluiu na questão do tempo de uso (pot life) x cura.

O tempo de uso, que popularmente é chamado de pot life é definido pela viscosidade do produto. Ou seja, o pot life é o tempo durante o qual o produto apresenta condições (viscosidade adequada) para ser aplicado.

De maneira geral, adesivos com pot life longo apresentam tempo de cura longo. Adesivos “inteligentes” permitem um tempo de uso (pot life) longo, porém a cura (quando iniciada) é extremamente rápida. Abaixo segue uma tabela comparativa de viscosidade x tempo, onde é possível observar a diferença no comportamento do incremento da viscosidade.    


Adesivos para laminação sem solventes combinam maior tempo de manuseio com cura mais rápida.

O ganho no tempo de cura, demonstrado abaixo, reflete uma preocupação não só com o processamento do material, mas também com a segurança alimentar. Isto porque as estruturas só estão aptas para o envase de alimentos após a cura completa que pode ser de de 2 dias no caso dos adesivos “modernos” e de 7 a 9 dias no caso dos adesivos convencionais.


A nova geração de adesivos para laminação se paga através da economia de energia e também pela economia de tempo operacional.

Também os hot melts (adesivos termofundíveis) possuem uma nova geração que oferece ganhos análogos. Enquanto um hot melt convencional (EVA) precisa ser aquecido a 150C -180ºC, soluções mais modernas podem ser aplicadas em temperaturas inferiores, entre 120ºC e 130ºC.

Essa redução na temperatura de aplicação, gera economia de energia para aquecimento, liberando menos CO2 na atmosfera, também proporciona uma maior estabilidade térmica, menor degradação do adesivo e, consequentemente, reduz o atrito e desgaste das máquinas, assim como as paradas por problemas de carbonização e entupimento de bicos. O gasto com aquisição e gerenciamento de estoque de peças sobressalentes também deve ser levado em consideração nesta conta. Outra grande economia que a escolha do adesivo traz.

Mas não é só isso. Tudo está interligado. A segurança no ambiente de trabalho também é facilitada. A menor temperatura gera  menos emissão de voláteis, odor e fumaça no ambiente, tornando-o mais seguro para o operador na aplicação, além de reduzir os riscos de queimaduras.

bolinhas

 

caixas


Os Hot Melts de baixa temperatura aumentam a velocidade da linha de produção e
demandam menos paradas para limpeza.

A produtividade pode ser ainda maior adicionando-se equipamentos de aplicação e alimentadores automáticos específicos. Eles permitem o menor consumo de adesivo possível através de uma dosagem mais precisa.

Aliás, a escolha da combinação certa entre equipamentos de aplicação e adesivos específicos pode por si só ter impactos dramáticos no rendimento e velocidade. Existem hoje no mercado máquinas de altíssima velocidade, que requerem adesivos especiais, mas que, apesar do maior custo de aquisição inicial, rapidamente se pagam através da maior produtividade e menor consumo de adesivo.

O que importa não é o custo do adesivo, mas sim seu rendimento.
Isto tem a ver com o índice de adesão do produto. As tecnologias tradicionais possuem relativamente baixa adesão e requerem maior quantidade, resultando em um acabamento mais grosseiro. As tecnologias de alta velocidade possuem poder de adesão superior e permitem acabamentos mais precisos. Ou seja, ao contrário do que seria “intuitivamente lógico”, quanto menor a velocidade, menor a precisão.

 

Não perca no próximo post:  As vantagens dos adesivos sintéticos

Deixe seu Comentário




Nome:

E-mail:


 


  Comentários
  Seja o primeiro a comentar esse boletim !